Português Español English

QUACC

Mostrar items por tag: capital humano

Amizade no Trabalho por Nathalia Damasceno e Evelise Oliveira

Todos nós temos aquele amigo para ligar às 2h da manhã depois de sair de um bar, ou aquele amigo do churrasco de domingo, aquele que escuta a gente chorar, amigos de infância, amigos de escola, faculdade, amigos de trabalho. Este último em questão sempre gerou muitas discussões: como ser amigo e ser profissional? Como ser amigo e ser chefe? A resposta é: maturidade.

Toda relação de amizade exige que tenhamos maturidade para ser amigo, exige que existam limites, os nossos limites, os limites do outro, limites para respeitar. Que fiquemos confortáveis em ser nós mesmos porque teremos alguém para entender esse nosso jeito. Relações profissionais exigem maturidade e limites como toda relação, mas ficam melhores se também tivermos um amigo.

Existem empresas que não incentivam a relação de amizade entre os colegas de trabalho Pense bem, passar o dia com aquela pessoa e não poder criar vínculo? Colegas de trabalho são as pessoas com que passamos a maior parte do nosso dia. Uma pesquisa feita pela rede profissional LinkedIn diz que, em todos os países pesquisados, 46% dos profissionais dizem que a amizade é importante para trazer felicidade no trabalho. Segundo os entrevistados, manter relacionamentos pessoais na empresa faz com que eles se sintam conectados, mais motivados e produtivos. O estudo comparou os resultados para diferentes gerações de profissionais: entre a geração Y (pessoas entre 18 e 24 anos), 67% estão propensos a compartilhar detalhes pessoais, incluindo salário, relacionamentos e questões familiares com colegas de trabalho. Já na geração Baby Boomers (entre 55 e 65 anos), apenas um terço mantém esse relacionamento.

Perguntamos para nossa Chief Human e Happiness Officer, Jandira de Paulo, sobre as relações de amizade no trabalho: “Muitos já falaram sobre este tema, mas creio que um ambiente saudável impacta diretamente nos indicadores de resultados e na tomada de decisão, afinal o clima organizacional saudável é fator determinante nas equipes de alta performance... Boas relações no trabalho são uma parte fundamental na vida profissional. Amigos de trabalho tornam a vida melhor e aumentam a satisfação profissional. É muito bom ter verdadeiros amigos no trabalho!”.

Para que a relação seja saudável, é preciso separar a amizade e as funcionalidades do trabalho. Seja gentil, mas seja firme. Tome as decisões necessárias de acordo com a sua função e o seu cargo, imponha-se. Aquele amigo vai entender se você o respeitar. Por mais duro que você precise ser, não seja grosseiro. Entenda que o outro também possui limites. Amizade entre chefe e subordinados é totalmente possível desde que haja maturidade para entender que, no trabalho, aquele amigo é seu chefe e precisa ter o comando, precisa criar soluções, desde que o chefe entenda que precisa comandar sem humilhar, só porque ele é seu amigo e você na cabeça dele tem que entender como ele é. Nada de excessos.

 

Respeito, gentileza e humildade são três ferramentas que farão qualquer amizade perdurar; principalmente no ambiente profissional, precisamos regar a amizade com essas três atitudes dia após dia. Amizade se constrói: quando está sólida, não é qualquer ventinho que vai derrubá-la, até mesmo aquele ventinho que aparece em algumas situações no ambiente de trabalho. Seja feliz, seja amigo do seu companheiro de trabalho.

Todo final de ano refletimos sobre as mudanças que gostaríamos de realizar no próximo ano, desde regimes a promessas de ir para a academia, começar um novo curso, guardar mais dinheiro, aprender uma nova língua e por aí vai... O fato é que o ano novo se inicia e algumas dificuldades acontecem no caminho. Albert Einstein disse que o princípio da insanidade é você fazer a mesma coisa achando que vai obter resultados diferentes.

Esta é uma pergunta pertinente e que deve ser feita constantemente pelos gestores de RH, principalmente naqueles momentos em que gerentes de outras áreas da empresa reclamam por possuir pessoas na equipe sem o perfil adequado para as atividades. Infelizmente, muitas empresas mantêm profissionais em cargos e ambientes que não  são apropriados e o pior: a maioria nem se dá conta disso. Ou detectam o problema e não tomam qualquer iniciativa.

Muitas empresas sentem dificuldades na hora de estabelecer métricas para selecionar e recrutar, avaliar o desempenho dos colaboradores, medir o clima organizacional e criar planos de carreira. Todas as ações descritas acima envolvem a força motora, o patrimônio mais importante das empresas: o capital humano.

Infelizmente ele não está apenas nas escolas. O bullying também assombra as empresas!

O bullying, diferente do que se imagina, não ocorre somente dentro das salas de aulas. Também não acontece somente entre alunos: os mais populares e os nerds; ou entre os maiores e os menores.  A prática do bullying, esse comportamento tão eficaz e destrutivo da nossa autoestima, está presente também entre adultos em seus locais de trabalho. Com pouquíssimas diferenças nas suas definições e muita semelhança nas suas consequências, o bullying no local de trabalho pode se tornar um grande pesadelo para muitas pessoas.

O bullying dentro da empresa pode ser definido como: “A exposição dos trabalhadores e trabalhadoras a situações humilhantes e constrangedoras, repetitivas e prolongadas durante a jornada de trabalho e no exercício de suas funções, sendo mais comuns em relações hierárquicas autoritárias e assimétricas, em que predominam condutas negativas, relações desumanas e aéticas de longa duração, de um ou mais chefes dirigida a um ou mais subordinado(s), desestabilizando a relação da vítima com o ambiente de trabalho e a organização, forçando-o a desistir do emprego". Margarida Maria Silveira Barreto (2000), Médica do Trabalho.

A prática do Bullying inclui comportamentos que intimidam, denigrem, ofendem ou humilham um colaborador, normalmente na frente de outras pessoas.  A prática do bullying cria sentimentos de impotência no alvo e minimiza o direito do indivíduo à dignidade no trabalho.
É importante lembrar que a prática do bullying é diferente da agressão. Enquanto a agressão pode significar um ato isolado, a prática do bullying requer ataques repetitivos contra o alvo, criando um padrão de comportamento que nunca se acaba.

Outro ponto importante a ser levado em consideração é que chefes “durões” ou “exigentes” não são necessariamente bullies/agressores, uma vez que suas motivações principais são conseguir o melhor desempenho de seus funcionários. Além disso, muitas situações de bullying envolvem colaboradores agredindo seus próprios colegas, ao invés de um supervisor ou chefe intimidando um associado.

Como combater essa prática nefasta dentro das corporações? Uma ação aparentemente simples, como o mapeamento do clima organizacional, pode apresentar indicadores importantes de como a empresa está respirando, vivendo, convivendo.  Medidas que se analisadas com critério e seriedade vão indicar áreas e pessoas saudáveis e áreas e pessoas doentes. Por bullying ou por tantos outros fatores que podem levar uma área para baixo.

Mapear, identificar, compreender, entender... Necessidades absolutas dentro das empresas. Possível solução para problemas graves para como bullying e outras situações inadmissíveis para o convivo em sociedade.

Como está o clima dentro da sua empresa?

Depois de muitas e muitas revoluções no mundo do trabalho, chegamos à era em que valorizar os colaboradores tornou-se uma excelente maneira de fazer negócios. Uma equipe alinhada aos objetivos, com foco nas metas e estimulada a alcançar os resultados pode produzir mais e melhor.

O desafio de criar ambientes profissionais para bons negócios passa pela dificuldade em selecionar e recrutar os profissionais certos para os lugares certos. A apresentação do currículo informa apenas as habilidades técnicas, mas não são suficientes para a escolha correta. O dia a dia do trabalho envolve comprometimento e responsabilidades que são medidos pelos comportamentos humanos.

Um exímio profissional técnico pode vir se tornar um bom líder? Um bom executor também consegue se comunicar bem? As tarefas apresentam algum processo ou são feitas sem planejamento?

O Método Quantum é a ferramenta de assessment que assegura cientificamente, por meio do laboratório de pesquisas do Método Quantum, os resultados oferecidos sobre avaliação comportamental utilizada na formação de times vencedores.

O Quantum Corporate é a unidade de negócios do Grupo Quantum que irá ajudar sua empresa a descobrir como o Método Quantum pode contribuir na formação de um capital humano compromissado com o seu negócio, oferecendo serviços e soluções que auxiliam na diminuição do turning-over e no aumento da produtividade de seus colaboradores.

As empresas que encaram a gestão de pessoas como um investimento de médio e longo prazo estão compromissadas com relacionamento mais harmonioso com seus colaboradores que, como feedback, tenderão a ter prazer em trabalhar, oferecendo novas ideias para o seu negócio. Em resumo: um ciclo vicioso que beneficia a todos.

Qual é o perfil da empresa em que você trabalha? Conservadora, despojada, agressiva com metas, dá espaço para você praticar seus talentos? Independente do jeito de ser dela, o Método Quantum pode ser útil tanto para as tradicionais como para as modernas.

O que o Método Quantum trabalha é com a qualidade do capital humano. Empresas integradas às tendências do mercado encaram os colaboradores como seu patrimônio primordial. Afinal, eles são os primeiros clientes dos serviços e produtos da empresa. Por sua vez, os colaboradores valorizados, se motivam ao ver seus talentos e habilidades sendo transformados em site free dating site algo útil para a sociedade.

A ferramenta de avaliação de perfis profissionais tendência comportamental, desenvolvido pelo Método Quantum se baseia em teorias da neurolínguística aliando física quântica e estudos comportamentais sobre as emoções primárias do seres humanos. Formatado em um questionário, o assessment do Método Quantum consegue extrair diversas características de personalidade comportamentais do colaborador.

Para interpretar as informações obtidas com a ferramenta é necessário a formação de um analista quântico (que pode ser o colaborador da área de RH) pela Universidade Quantum. O analista quântico é capaz de ler as informações com precisão, além de cruzar dados e gerar tendências comportamentais diante de situações específicas do ambiente de trabalho. Por exemplo” é possível medir o estilo de liderança e o de comunicação para saber se o foco da pessoa é voltado para resultados (coisas) com um estilo mais controlador e determinado, ou maior habilidade em relacionamentos, mais amistoso e persuasivo.

O Método Quantum atua diretamente com gestão de pessoas, oferece métricas de desempenho e garante assertividade no processo de seleção e recrutamento. Além disso, disponibiliza serviços personalizados para a realidade de cada empresa: desde a realocação de pessoas certas nos lugares certos a desenvolvimento de planos de carreira.

A qualificação do capital humano é um investimento que se traduz em capacitação, motivação, organização e endomarketing. O Método Quantum pode fazer muito por sua empresa e o Quantum Corporate é área de negócio especializada no atendimento e soluções para clientes.

Modo de Usar

Publicado em Modo de Usar

“Nós somos gente que entende de gente”

O Método Quantum é uma ferramenta de assessment (avaliação) desenvolvida para ajudar a sua empresa em vários momentos.

Quando a necessidade é de recrutamento e seleção, o Método Quantum ajuda a encontrar os melhores profissionais para formar equipes vencedoras através de um mapa que indica tendências comportamentais, perfil e índice de flexibilidade.

Quando o objetivo é autoconhecimento os relatórios e análises dos Mapas Quânticos são usados para descobrir informações pessoais valiosas como aptidões, talentos desconhecidos, bem como comportamentos e atitudes que precisam ser melhorados.

Em se tratando do bem mais precioso da sua empresa, o capital humano, o Método Quantum pode oferecer conhecimento estratégico no organograma das equipes. A partir das informações extraídas é possível detectar o líder, o habilidoso na comunicação, o especialista em vendas etc. Sabendo quem trabalha com você, fica mais fácil montar equipes e desenvolver projetos.

O ambiente de trabalho ganha mais harmonia com equipes trabalhando entrosadas. Há mais motivação para alcançar os objetivos, gerando resultados mais expressivos.

O Método Quantum é o motor de um ciclo produtivo para sua empresa.